Games mobile: um mercado em alta com infinitas possibilidades

A área de produção de jogos é muito atraente, em especial para os desenvolvedores mobile que estão começando sua carreira. A boa notícia: é um mercado promissor! De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de consultoria e pesquisa de mercado de jogos NEWZOO, as projeções para o mercado global de jogos mobile é um aumento de aproximadamente 27% em 2015 e o dobro em 2016; já o crescimento no uso de jogos para tablets entre os anos de 2014 e 2016 é de 400%;

Para muitos desenvolvedores, criar jogos é uma forma de arte, uma maneira única de se expressar. O desenvolvimento não se resume às linhas de código e aplicação de lógicas; existe um complexo sistema psicológico que envolve sistema de recompensas, incentivos, perdas e ganhos e objetivos muito bem determinados, que quando bem pensados farão com que os gamers fiquem alucinados a ponto de investir horas de sono pra passar de determinadas fases.

Para a produção de jogos, as empresas precisam de uma equipe com, pelo menos, 6 pessoas:
* Designer – Responsável pela coordenação geral do projeto;
* Produtor – Responsável por projetar a jogabilidade, o conceito, regras e estruturas do jogo;
* Programador – Responsável por gerar o código em linguagem de programação que irá dar vida ao jogo;
* Artista – Responsável pelo grafismo do jogo. Cria a representação visual dos personagens, cenários e objetos presentes no jogo;
* Engenheiro de som – Responsável pela sonorização do jogo;
* Tester – Responsável por analisar o jogo e documentar defeitos de software.

Mas apesar de ser o time considerado “ideal”, hoje, com os preços bem mais acessíveis para computadores com ótimas configurações de hardware, existe a possibilidade de um único desenvolvedor ser responsável pelo jogo todo, da concepção do conceito até a sonorização. Para isso, ele deve possuir diversas habilidades:

ter um conhecimento profundo do assunto e entender por que as pessoas jogam: conhecer seu público é fundamental;
disciplina para cumprir prazos e metas (ou o jogo será construído eternamente e nunca será mais do que um projeto);
saber construir bons roteiros, que despertem o interesse e a curiosidade do jogador;
noções artísticas de design e ilustração, para que a identidade visual seja coerente e não deixe o jogador confuso;
entender bem sobre o fluxo do jogo, objetivos e penalidades: onde o jogo começa e onde, quando, como e porque termina;
boa noção de programação para estruturar e montar todas as ações do jogador;
noções musicais para produzir boas trilhas e inserir efeitos sonoros;
noções de mercado, marketing e leis da internet, para comercializar seu produto.

O crescimento e desenvolvimento da internet, não mais apenas como uma rede de informações mas também de compartilhamento de arquivos, possibilita o comércio independente dos jogos, ainda que o ideal seja que o seu game (mobile) faça parte de redes maiores, como a App Store e a Google Play, não apenas por uma questão de visibilidade, mas também de segurança, uma vez que essas empresas garantem uma qualidade mínima dos jogos.

Para quem quiser se desenvolver na área de games, já existem cursos de graduação e especialização na carreira:

– A Universidade Unisinus oferece o curso de graduação tecnológica em Jogos Digitais; a duração do curso é de 3 anos e a instituição é a única da América Latina com parceria com a SONY ENTERTAINMENT para o desenvolvimento de jogos para o PSP

– A Escola Panamericana oferece cursos de longa e curta duração, nas áreas de animação e games e desenvolvimento de games para a plataforma mobile;

– A Fiap oferece dois cursos: técnologo em jogos digitais (com duração de 2 anos) e um MBA em Desenvolvimento de Aplicações e Games para Dispositivos Móveis – Internet das Coisas (com carga horária de 360 horas). O mais interessante deste curso é que o Trabalho Final pede para que o aluno desenvolva uma startup, o que incentiva o empreendedorismo .

– O Senac oferece um curso de pós graduação em Games:produção e programação. As aulas são presenciais, a carga horária é de 414 horas; o diferencial são os laborátórios, com máquinas de alto desempenho onde os alunos podem fazer pesquisas, ter consultorias e criar projetos. O curso também oferece matérias voltadas ao empreendedorismo.

As possibilidades são muitas, e a mão de obra especializada ainda é escassa. Por isso, desenvolvedores mobile, fiquem ligados! Investir em conhecimento é muito importante, e entender um pouquinho sobre cada uma das áreas de produção também é um diferencial, pois faz com que o profissional consiga ter uma visão maior do processo completo da produção do game.

Let´s play! Just press start!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *