O que é uma ICO?

ICO (inicial coin offering, do inglês) ou Oferta Inicial de Moedas vem da analogia da IPO (initial public offering ou Oferta Pública Inicial), um termo que vem da bolsa de valores, utilizado quando uma empresa decide abrir um método de financiamento e começa a vender ações. No mundo das criptomoedas isso é chamado de ICO, simplesmente porque é baseado em criptomoedas como bitcoins e Ether.

As ICOs podem ser vistas como um método de crowdfunding. Para quem nunca ouviu esse termo, crowdfunding é um jeito de financiar uma ideia arrecadando dinheiro das pessoas. Um dos sites mais conhecidos é o Kickstarter onde as pessoas ou empresas divulgam sua ideia, a quantidade de dinheiro que precisam e determinam um prazo final para a arrecadação do dinheiro. Qualquer pessoa do mundo pode doar a quantidade de dinheiro que quiser para seu projeto favorito. Essa ideia é muito útil para que empresas sem capital inicial consigam investir em seus projetos. O crowdfunding se tornou popular em 2012 e já ajudou muitas ideias a virarem histórias de sucesso. Já as ICOs começaram a fazer muito sucesso depois do bitcoin e do Ether terem alcançado valores muito altos.

 

Como funciona uma ICO?

Cada projeto de ICO cria uma nova, própria, moeda digital que geralmente é chamada de token. Esses tokens são dados aos investidores como compensação para que eles possam vendê-los posteriormente ou então usar os serviços do projeto da ICO. Na verdade os tokens funcionam como embalagens e depende de cada projeto para definir o que estará dentro dessa embalagem. Coisas como criptomoedas, propriedades ou frações do direito de uso de alguma coisa estarão dentro das embalagens. Caso o investidor resolva vender seus tokens posteriormente, rege o princípio da oferta/demanda: se o projeto de ICO alcançou muito sucesso os investidores poderão vender seus tokens por preços mais elevados, e consequentemente irão lucrar mais.

As ICOs geralmente se estendem por uma ou mais semanas nas quais qualquer pessoa pode comprar os tokens do projeto em troca por criptomoedas como bitcoins (BTC) ou Ethers (ETH).

Alguns projetos de ICO oferecem rentabilidades altas para curtos espaços de tempo. Essa promessa de ganhos estratosféricos está atraindo cada vez mais pessoas para investirem e também desenvolverem projetos novos por ICOs.

As ICOs são anunciadas em sites como Ico Alert ou App Lancer nos quais os membros do time disponibilizam as informações sobre seu projeto. Não existe uma única plataforma ou um único site que lista todas as ICOs que existem no mundo, por isso o trabalho de se informar e procurar novas ICOs depende muito do investidor.

Uma coisa que todas as ICOs têm em comum são os white papers. Esses documentos contêm diversas informações sobre o projeto da ICO e o mais indicado é que no white paper estejam descritas as seguintes informações: o problema a ser resolvido, a solução para o problema e a descrição do produto, a descrição da implementação dos tokens (como o token funciona com o produto, economia e técnica), a equipe que está criando essa ICO e o desenvolvimento e o plano dos tokens (problema dos tokens e as perspectivas para eles).

É muito importante que o projeto da ICO tenha um white paper adequado, pois sem esse fica quase impossível conseguir investidores. O item mais importante de um white paper é a descrição dos membros do time. Às vezes, se a equipe for muito boa (uma equipe multidisciplinar e com sucesso prévio é excelente), investidores irão investir numa ideia que pode mudar com o desenrolar do projeto ou que, de primeira, não parece tão boa. Antes de mais nada os investidores precisam acreditar na capacidade da equipe.

Outra coisa que é muito importante num white paper é um plano detalhado do uso dos fundos arrecadados. Muitas vezes os membros escrevem coisas vagas sobre os planos com o dinheiro arrecadado, o que pode gerar certa incerteza e desconfiança dos investidores.

A título de comparação, numa IPO a empresa é obrigada a informar onde irá investir o dinheiro arrecadado. Numa ICO isso deve estar no white paper, mas depende muito de cada empresa colocar essa informação no documento. Outra coisa que numa IPO é mais fácil é o controle do destino da verba (se a verba realmente foi usada para o que ela deveria ter sido usada), pois nas ICOs esse controle fica na mão do investidor.

Depois de criada, a ICO é anunciada e os investidores começam a comprar os tokens. O processo de compra de tokens é bastante simples e segue os mesmos passos em qualquer ICO. Depois de comprar os tokens é interessante que o investidor acompanhe o projeto e siga os milestones definidos no white paper. Geralmente os resultados começam a aparecer depois de um tempo, então não é bom contar com lucros imediatos.

 

E se eu quiser investir?

Bom, se a intenção for investir em ICOs então é recomendado que o investidor preste atenção em alguns sinais de fraude que podem ocorrer em projetos de ICO. Como se trata de um mercado que não é regulamentado e é exclusivamente online, é muito fácil que ocorram fraudes. Dinheiro que é perdido em ICOs irregulares pode nunca mais ser recuperado. É interessante observar os pontos a seguir que a revista Forbes destacou:

  • ICOs com um retorno alto “garantido”. Não existem retornos garantidos, então atente-se se alguém promete altos lucros, ainda que com riscos.
  • Ofertas não solicitadas. Fique atento caso receba uma oferta não solicitada de investimento, principalmente se não conhecer o autor da oferta.
  • Parece bom demais para ser verdade. Se o investimento parece bom demais provavelmente ele é.
  • Pressão para comprar aqui e agora! Pode ser criada uma falsa sensação de urgência para que você participe do investimento aqui e agora. Tire tempo para pesquisar sobre o investimento.
  • Vendedores não licenciados. Muitos esquemas fraudulentos envolvem vendedores e empresas sem licenças. Informe-se ao máximo tanto sobre a empresa quanto sobre os vendedores.

 

A ponto de curiosidade

De onde vêm as ICOs? Bom, ICOs vêm de todos os cantos do mundo e aqui você pode conferir mais alguns dados sobre a origem delas, além de ver quais países têm mais ofertas iniciais de criptomoedas. Aqui estão mais informações sobre como investir em ICOs para quem se interessou por esse assunto.

Atualmente não existem leis que regulamentam as ICOs, mas uma pergunta que muitos se fazem: será que um dia as ICOs terão que seguir as mesmas (ou pelo menos parecidas) normas que as IPOs?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *